quarta-feira, 8 de julho de 2015

Repara bem no que não digo

Venho tentando te escrever, ou melhor, te dizer 
mas eu sempre fui ruim com as palavras que saem da boca.
Prefiro por num fundo branco.
É que sabe, debaixo daquele teu teto estrelado do quarto, enquanto tua perna pesava em mim na cama e você dormia, longe do meu lado, percebi aqui dentro que me envolvi.
Deixei você me levar pela mão pros lugares mais lindos fazendo do simples o mais bonito.
Deixei o teu castanho dos olhos e pintas, pintarem meu quadro borrado de cinza.
Deixei teus cachos soltos se embolarem nos meus dedos de uma tal forma... e ficarem de um jeito tão leve, sereno, sabe?
Fui me deixando apaixonar, apaixonei e agora não sei.
Cheguei aqui e me perdi, to sem chão. To com você do lado querendo continuar com a tua mão na cintura e o assunto mas é isso, não sei ao certo o que tu quer.
Nos acompanhamos nos dias, seguimos o peito quando bate a saudade, não criamos desculpa, a gente se acha por aí e pronto. Tá feita a semana.
Só pra você saber, sim, eu reparo em tudo. No canto dos olhos, os brincos desalinhados,os olhos distantes que cantam pra mim que tem alguma preocupação, os cachos no vento, o pelo na camisa, os cílios longos enfeitando o rosto, a bermuda verde que eu gosto e me diz "ih, tá reparando muito" e eu rio pensando comigo no tanto que tu mal sabe que já tem aqui dentro, com relação a você.
Garoto doido, me vem com as piores piadas da vida já rindo desvairado e me ganha aí, nessa coisa de pensar que eu vou achar graça e morrer de rir.
E eu, tonta, morro de rir pra você, com você, por estar, querer, ficar... devia ser lei rir você.
Você diz que eu nunca sei, que é preu escolher, decidir mais.
Sou pequena ué, pro que já vivi me pergunto como ainda consigo seguir leve por mais de 3 minutos.
Deve ser do bem que cê me faz, essa coisa de ter nome de arcanjo, sei lá...
Sabe que eu adoro quando você apoia o rosto nos dedos quando tá pensando? E eu gosto quando você conta. 
Do vento, do colégio, da ex, da viagem, da festa, de casa.
Encaixo tudo na cabeça, refaço meio torto teus passos... faço uma pergunta no meio pra deixar bem claro que eu me importo, te toco no braço.
Não ligo pra sua bagunça, acho você bem organizado por dentro. Teus assuntos me prendem, teu tesão em mim, desculpa, é maravilha pros dias.
Mãos pequenas mas cheias, boca faminta, larga de sorriso bonito e beijo longo. 
Pisca de longe pra mim como quem diz "confia em mim"
Pisco de volta e sorrio boba, gritando sem voz que confio, fico, espero. 
Vem logo.
Mas vem logo mesmo! Passa menos tempo longe, dorme até mais tarde comigo sábado e domingo, me deixa vendo filme sozinha porque você não aguentou depois do brigadeiro e capotou com os braços em volta de mim, morde mais minha bochecha, o braço, meus dedos. Dá mais beijos na minha mão, descasa a sua na parte de dentro da minha coxa, solta meu cabelo, prende meu cabelo, faz mais piada, fala mais besteira no meu ouvido que eu arrepio, me puxa pra perto, me chama quarta feira pra tomar cerveja, me pede pra ver como tá teu trabalho, me diz que o pessoal gostou do que tu fez, me manda beijo no whatsapp do nada só porque parei de falar e não apareceu mais nada maluco pra gente comentar, pergunta de novo porque não uso havaianas pra sair, repara que meu chiclete é de canela como sempre, elogia meu casaco, diz que queria muito um banho quente comigo, que prefere meu cabelo natural, que me acha estranha por eu não gostar de alça de sacola amarrada, faz de novo aquela cara delicia na primeira mordida do quarteirão e me olha bem nos olhos quando eu chegar, preu saber que você tava esperando e reparando, tanto quanto eu.


terça-feira, 2 de junho de 2015

Corações que não se afagam

Esse teu amor por obrigação me sufoca
me faz desacreditar na historinha pra boi dormir de que me quiseram e programaram toda a vida
me cansa as pernas e os ouvidos todos esses discursos pra me afetar
Solta teus cachorros no meu quintal bagunçado de folhas e não se importa se eles vão morder
Me procura quando convém
Só enquanto te obedeço
Sei que teu peito aperta mãe, mas o meu dilacera
O meu só sangra
Desde que me entendo por gente te vejo sofrer e meu peso nos dias era não entender
Quis te curar
Quis ser suficiente
Ser um par
Não me recordo do dia ao certo em que me vi sem teus abraços de conforto
Não me lembro nem do ultimo nem do primeiro
Sinto falta de carinho
Você diz sempre do quanto eu erro sem lembrar que todo mundo erra
Mãe, você ainda erra...
Não é possível me cobrar tanto algo que nem você sabe o que é
Não supera os erros
Os buracos
Nem a dor
Arruma casos e motivos bobos pra me sufocar
Nunca se faz feliz por eu estar feliz
Mas obrigada mãe, por me mostrar todo dia que a vida é surpresa
Por me dizer com todas as letras que nada é fácil
Mãe
te agradeço pela desconfiança em mim
Obrigada por desacreditar
Sou um pouco mais mulher agora e sei com cada parte do meu ser que não quero ser assim
Igual a você

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Aos ex amores

Acabo de me descobrir uma destruidora de corações.
Acabei de perceber que é sempre eu a que magoa e leva embora a alma dos apaixonados. É sempre eu que mastigo a esperança dos outros depois cuspo como se não fosse nada.
Não presto mesmo!
Quem em pleno juízo vai aceitar se meter comigo sabendo desse histórico tenebroso? Pois bem...
Já que meu estado é este e não tenho muito o que fazer para mudar (na cabeça dos outros) digo, que acho engraçado o quanto a gente precisa se afirmar poraí pra ser legal. Pra ser aceito. Ou até normal.
As pessoas se esquecem que são apenas pessoas e que dentro disso existe um universo de possibilidades.
Não sou igual a ninguém mas tenho meus direitos de viver como bem entendo dentro do que consigo suportar.
Meu coração já foi muitas vezes partido e como sempre a raiva passa e hoje tenho a sabedoria de continuar amando quem me amou também um dia, mesmo depois de tanto tempo. Não fingi amor. Eu amei. São todos ainda carinho.
Mas eu sou a ingrata, a tormenta dos homens que sonham.
Meus carinhos são esquecidos rapidamente quando somente tento fazer minha vida valer a pena pra mim.
Tudo bem, eu entendo.... As vezes carinho não é lá tanta coisa mesmo mas, vejam bem, tentam me apagar por eu ser assim.
Louca, impulsiva, instável...
Então eu, como uma boa destruidora de coração, digo a vocês, meus ex amores, vou continuar me modificando. Vou me moldando pra quem chega, vou continuar remando contra a maré pois pra mim, apenas seguir o rio é ser pobre demais. É aceitar que te quebrem e não querer levantar.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Raridade você

É raro os dias que te vejo feliz
Só por ser feliz
Só por ser você.
São tantos erros simples de resolver, tanta louça na pia, tanto eu espalhado.
Você enche a boca pra falar de um tempo já estranho, distante.
E eu, me enxugando de banho, ouvindo teu pranto do porque ainda vive comigo.
Pega tua jaqueta, abre a porta, deixa a chave e vai embora.
Com o mundo lá fora na esperança de encontrar teus poucos sonhos
Solta de mim e aceita o fim.
Já não somos mais risada no quintal, almofada que sustenta o peso da briga.
O choro nem sai mais, a garganta já abriu.
E ainda é raro te ver feliz
Só por estar feliz
Só por ser por mim.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Decisão antiga chegada esses dias

Saiba
que quando você voltar, se voltar,
quando entrar, repara que a casa mudou.
Tirei você das paredes, tirei as fotos, os bilhetes. Guardei os cartões, juntei suas roupas pra se você vier buscar.
Só não pense que fiz isso por não te amar mais. Não.
Eu apenas quis fazer com você o que  você fez comigo: fingir que não existiu. Não ver, não ouvir.
Aqui mudou um pouco, tá mais vazio do que antes.
O que não quer dizer que durante a madrugada eu não pensei na gente vendo um filme e chorei por alguns minutos.
Não to diminuindo o meu amor, só to sofrendo menos porque eu já entendi que quanto mais a gente põe pra fora, mais a gente sofre. E enquanto dentro, é mais fácil de esquecer porque se mistura com outros assuntos, outros papéis, vai passando. Feito moeda na gaveta.
Saiba amor, que amar é não ser egoísta, é não se vangloriar.
É compreender que todos erram, inclusive você. Eu.
Se estiver pensando em voltar, só te peço uma coisa: Tranque o seu orgulho em casa.
Se tiver certeza que não vai mais voltar, lembra que um dia eu fui especial na tua vida e na tua história assim como você pra mim.
Não é por que você decidiu por nós o fim, que eu vou agir como se você fosse um estranho.
Por todas as barras que a gente passou, todos os rios que a gente chorou...
Saiba
hoje, amanhã, depois, que o nosso coração mantém. Amém.


quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Feito flor

Vi essa imagem e logo me veio à cabeça aquela conversa.
De não fazer o que queremos, de não ser quem esperamos, de prestar atenção no que somos e quem somos pra nós e pro mundo a nossa volta.
Sinceramente, não me recordo.
Ser mãe me mudou, ser adulta por escolha e antes do tempo me alterou, me mudar me perdeu.
Mais parece que meu lugar não é aqui, que meu espirito não está focado.

E não me para de martelar a pergunta "Quem eu era antes de virar isso que sou hoje?"
Não sei, simplesmente não me lembro.
Sonhos, planos, desejos, angustias, vontades e metas...
ME PERDI DE MIM
Passo pela casa matutando, procurando a ponta da corda pra puxar minha vida de volta pro lugar e nada de achar.
Hora pra acordar, pra fazer, passar, arrumar. Organizar, preocupar, limpar, pagar. Enviar, editar, importar, publicar.
Eu não sei quem culpar, eu não sei quem perdoar.
Sei que me veio aquela conversa...
e vou te contar, nem sei se consigo organizar pra te compartilhar um cado .
Vontade? Ser útil de novo, boa mãe, boa esposa, boa profissional, boa pessoa, boa dona de casa, em tudo que me aparecer! Boa, que seja... quem sabe não chego no maravilhosa?
Sonho? Conseguir conciliar minha vida de hoje na liberdade de antes mesmo que com as devidas alterações.
Gosto? Eu gosto de riso, gargalhada. Quem me dera rir de mim de novo.
Contra minha vontade? Ser rabugenta e impaciente... deixar levar por coisa pouca, problema atoa.
Aprender? Serenidade, garra, um pouco mais de criatividade, aprender a viver fora da bolha.
Ah, você bem sabe... nem café adianta mais, nem sono, nem a caneta e a agenda.
Não sei muito mais de mim, mal sei do que me lembro pequeno.
Hora tendo crise de choro e crise de sono, as vezes ansiedade, as vezes de fome.
E aí, me vem aquela conversa tua de melhorar pra mim, por mim, por dentro feito flor.
Vou tentar não só deixar fluir como melhor for, vou buscar melhorar, batalhar pelo meu amor.

sexta-feira, 7 de março de 2014

Cinza azulado, meu favorito.

Sentada no escuro da sala
enxergando apenas meus dedos iluminados pela tela do computador. 


E da janela aquele tempo que tanto gosto, aquele tempo daqueles tempos.
Vento gelado e céu cinza, sabe?

Sensação de ainda sentir tanto por tanta coisa...
Vidrada em encontrar as palavras certas ou as mais simples, em fim.

Hoje é sexta e meus olhos andam por aí,esquinas ensolaradas, avenidas, trilhos e nas núvens gigantes de hoje de manhã.


Coração preocupado em cuidar melhor e fazer mais pra valer a pena.


Estou utilizando o escuro da casa pra fazer iluminar a mente que falha algumas vezes... esperando bater de novo o vento gelado nas pernas penduradas sacudidas ansiosamente trazendo alguma nova palavra e mais lembranças pra me fazer digitar como antes.

 Trying To Be Cool tocando alto no fone, contagiando minha nostalgia com o tempo.
Cantarolando cada frase de olhos fechados esperando não estar 
misturando musica e texto.

Assim no escuro dos dias, aqui no brilho das minhas musicas favoritas, aí me imaginando
 de mãos dadas
com tudo isso ou aquilo que me faz sentir.


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Falta de mim ♥

Me corta o coração ver tua falta.
Tua falta que na verdade é minha, uma falta de mim.
Do jeito que eu sorria, falta do meu jeito solto, meio sem compromisso com o mundo todo.
Das surpresas, as borboletas no estomago te fazendo esperar ansioso as ligações.
Nosso primeiro passeio pelas ruas de pedra do centro, até a biblioteca e todo meu amor pelo momento.
Todas aquelas mensagens de texto no celular e todos os beijos longos de reencontro.
Você até acreditou que eu me fazia assim pra encantar...
Corta fundo meu coração, saber do teu desamparo perante a minha falta de afinidade e cumplicidade.
Falta simplicidade!
nos meus dias, nas minhas palavras, nos meus atos, em tudo que faço. No pouco que me faz movimentar as pernas hoje. Eu sei.
Falta em mim, um tanto de chão pra pisar, um tanto de coração pra te doar... falta em mim um tantão assim de mim de antes. Alegria de viver pra te fazer feliz, sorrir, por mim.



domingo, 16 de fevereiro de 2014

Sobre um vazio meio cheio


Só eu sei que ela gosta do gosto que fica de corpo suado
de pele enroscada depois do amor.
Leu em algum lugar que bom mesmo é passar o dia, fazer compra, ir trabalhar, tomar um café, pegar o metrô com o cheiro da pele do outro.
Seduzida por pintas e veias, os detalhes fazem da vida dela gigantesca.
Ouve Cícero com saudades, pensa na chuva e nos dias que se molhou por amor
Procura algo dentro dela que parece não existir mais.
Uma leveza... acho que um encanto de desfazer nós de nós sempre.
Mas
 quando o mundo desaba e a vida anda na corda bamba, ela se crucifica, não dorme, procurando o furo, a gafe.
E o culpado pela dor do parto, pela flor morta no jarro?
 Ouve bem moça do ombro claro, teu vazio é disfarce pra todo cheio do teu coração 
não vai embora agora, não se despede assim...
olha pra trás mais uma vez pra lembrar do meu olhar de carinho a você
recorda o toque das minhas mãos nas suas, todo o suor e também as mancadas tá?
Pois meu amor, mal cabe dentro de mim 
e meu maior orgulho no mundo é ainda poder te ver sorrir.


quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A apenas alguns dias de comemorar mais um ano de vida do motivo que me fez vir ao mundo, o grande motivo da minha existência, me pego lembrando de tudo, em flash's e isso, vendo dentro dos olhinhos dele enquanto ouvia Frejat.
Ele que nasceu com pouco mais de três kilos, careca, de parto normal ainda que, com três voltas do cordão umbilical no pescoço, de olhos bem abertos e berros agudos pra avisar ao longe sua chegada, me ilumina a cada manhã sem precisar de explicação alguma. 
Ele por si só é o meu viver.
Como se agora, minha obrigação aqui, fosse só e somente direcionar os passos dele no caminho certo sem deixar de registrar um por um.
Da hora de levantar ao banho, da hora de brincar a hora de guardar os brinquedos, da hora de almoçar a hora de escovar os dentes, tudo, absolutamente tudo, é como se eu estivesse fazendo pela primeira vez a cada dia mas com detalhes novos.
E entre tudo isso, me pego reparando em cada cacho de cabelo, cada curvinha das costas, cada costela, cada unha do pé que é uma xerox do meu... os cílios longos, os dentes afiados, o joelho ralado e o umbigo num circulo perfeito. Cada canto dele é surreal! Cada gota de lágrima, cada risada esperta, cada pérola que ele me diz durante meu dia difícil.... tudo nele é amor.
Tem ligação com tudo que a gente ouvia desde o inicio, eu pelos ouvidos e ele através da barriga.
Ama as rimas, as batidas... dança como se não estivesse alí. Ri com a pureza mais linda dessa vida e diverte a quem estiver por perto. Meu principezinho de cachos claros e olhos de jabuticaba! 
Todo mundo sempre falou dos olhos dele... 
Profundos, calmos e de uma fixação extraordinária. Ele vê teu coração pela íris.
E desde a barriga, quando estranhos me paravam na rua desejando tudo de mais lindo pra ele, eu soube que valeria cada segundo de dor, de desespero, de medo e de coragem pra enfrentar tudo. E passaria por cada dor e sofrimento de novo, e de novo, e de novo, quantas vezes fosse preciso!
No meio disso tudo, esbarrei com gente gentil, gente fraca, gente amiga, gente sem noção do quanto tudo isso foi e é mágico.
Gente que talvez não mereça descobrir o que é todo esse amor, gente que realmente não quer descobrir e gente que conheceu, descobriu e que ficou apaixonado pra sempre mesmo só tendo provado alguns goles mas que valeram pra vida toda, dou minha certeza.
E me peguei olhando de novo, debruçada na grade do berço, o soninho mais sereno e o respirar profuuundo de quem definitivamente conhece os anjos.
Meu cristal, precioso do carinho mais verdadeiro e dono do beijo babado mais delicioso de toda a terra!
Mãe é ser quem você nunca achou que seria pra alguém no mundo... é ser toda uma constelação dentro de um outro coração feito pra caber em você.

Eu te amo meu viver, eu te amo demais além dessa vida :')

- A mamãin

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014


O olhar longe que me vigia
os dedos lentos que param o vibrar
das cordas
acompanham a melodia, 
dançando depois do meio dia.
Notas musicadas em lá ou fá, ecoam
nas paredes e sobem um andar.
Coração de estopim, mal consegue
um lugar na plateia.
se aperta entre os joelhos e pernas
em busca do melhor lugar.
Enquanto eu corro pro camarim,
pra te ver voltar com sorriso claro
de quem renovou meu dia!

Insômnia

Sou preenchida por imagens
umas suaves, outras suas.

Sou rodeada por palavras 
umas simples, outras dadas.
E também sou feita de coração de carne, que sangra e bate... bombeia pras veias as desavenças, as grosserias, os acasos, o vazio do mundo e todo o seu amor.
Ultimamente não tenho me bastado, to precisando muito de você do lado.
Dá vontade de musica nova, um porre, sair de novo pra dançar e também montar um picnic só pra gente deitar no colo e ver o olho piscar com aquela luz amarela no olhar.
Sou convencida cada dia mais de que os amores não são descartáveis e que é impossível forçar/disfarçar o amar.

Aquele carinho na nuca, um cheiro na bochecha e pra fechar um beijo no olho que descobri que é mais uma coisa em comum com a Amèlie e o Nino que tanto amei conhecer.
Tem dias que mais parece que a dor vai me levar ou que eu vou afundar no sofá e fazer parte da mobília só que daí, eu lembro que mais algumas vidas dependem da minha.
Sou de acordo com o tempo

mais precisamente com as nuvens.
Sou movida a coca-cola 
mesmo que depois role um café pra despertar.
E agora me deu saudade do telhado, deitar com alguma musica calma e só olhar o céu escuro depois de um dia cansativo.
Deu saudade de pular o muro, de pisar nas telhas certas, sentir o gelado nas costas, debruçar a cabeça mais pra trás...
Realmente, sou um completo vazio, transbordando de cheio. São amores e saudades e cheiros, pessoas, momentos e lugares distantes e próximos.
A conclusão disso tudo é que eu sou insônia, não sou pra você, sou açúcar no fundo do copo.
Agora vem, que deu vontade de... 


quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

"não é você"

Não é colocando as meias e calçando os sapatos pretos e indo embora com um beijo no rosto que você vai me consertar.
e nem é me arranhando a carne que você vai conseguir me entender.
estou passando por tempos difíceis em intervalos de carinhos e puxões de orelha seus.
Desculpas de todo coração tem muito valor pra mim mas, não me convence mais depois de um tchau desses.
Tenho tido muito tempo de sobra e nenhum tempo sóbrio. 
Meus olhos amarelados, minha falta de folego e minhas pernas bambas do calor são um grito de socorro!
faz muito tempo que não assisto alguém ir embora com uma sacola de orgulho e perguntas sem respostas quando eu mais preciso de atenção pra minha confusão.
achei que seria diferente, que suportaria até... mas não.
Seria lindo acordar e ter tudo resolvido amor. É que meu peito ta cheio e minha boca costurada como há tempos não ficava.
Não, não quero tempo pra pensar. Não, de jeito nenhum eu quero continuar nessa bagunça. Acontece que a bagunça aqui de casa, eu tento arrumar pra pelo menos poder dizer pra mim mesma no fim do dia que eu não to tão dentro duma bagunça assim. entende?

Vê quanto tempo faz que não consigo me expressar! vê bem a quanto tempo faz que minha cabeça não tem uma ligação tranquila com as minhas mãos e o teclado...
Tem dias que estou certa de que vou estourar e sair poraí com o vento e enfim respirar mas daí no outro, eu já acordo sem nem conseguir pensar.
de novo foram horas, dias e semanas com o blog aberto no desespero de alguma frase que me fizesse acordar desse veneno que tomei  pra não me expressar. e eu só posso dizer que dói.
Voltando a hoje, tentei chorar depois que você foi embora... pedi um beijo e um abraço do outro homem da minha vida. Não fui atendida e ainda assim não consegui chorar... isso dói demais!
São pesquisas, são perguntas que faço pra mim mesma, são textos de ajuda que não tem efeito.
Acho que me encontro, hoje,  no centro do meu desespero! amarrada, sufocada, imóvel e o pior, sem saber porque nem como.
Andar sozinha não me ajuda mais, ouvir uma musica antiga, só me faz piorar. São flashes de inutilidade, de vazio, de desordem, loucura, impaciência e solidão.
Queria poder sentar com você num bar, já meio alta e tentar colocar isso tudo pra fora mas aí, vem a maluquice da minha cabeça dizendo que você já tem problema demais sozinho que mais alguns meus além da conta, não seria justo.

Então, chega bem em casa amor, me avisa se foi tudo bem e volta aqui pra mim com mais força pra tentar me entender e ajudar. Prometo melhorar e jogar fora esse peito pesado de coisa que não é você. Um dia.
Eu te amo


segunda-feira, 1 de abril de 2013

Te Mereço


Um carinho envolve o meu coração
Sinto que é você, falando pra mim
Sussurrando

Quente entre os dentes, letras tão gentis
Até vou acordar, pra não esquecer
Palavras

Que eu sei de cor por ter você
Por querer e merecer
Enquanto o sono é pouco e o sonho é bom
Eu entendo essa canção

Olho semi aberto escuto da janela
A cidade acordar mas dentro do quarto
Escuto

Você que como um anjo ensina ao respirar
Desse jeito mansinho e halito doce
Entregue

A amar e ao me abraçar
Me apaixono ainda mais
Mas se não me levantar e escrever
De manhã não vou lembrar

E a amar e ao me abraçar
Me apaixono ainda mais
Mas se não me levantar e escrever
De manhã não vou lembrar, eu sei.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Pra arrancar sorrisos


Nos disseram: 
- não é desconfortável dormir naquela cama de solteiro, apertados a noite inteira?
E nos olhamos, os dois com o mesmo sorriso bobo no rosto, apertando as mãos já unidas, e não respondemos.
Sabíamos que nos cabíamos, que nada além daquilo ali era necessário.
Tínhamos tudo, praticamente o mundo enquanto nos encaixávamos um no outro como peças de quebra cabeça.
A minha perna abraçando a cintura dele, os pés dele fazendo carinho na minha perna, as cabeças encostadas e os braços, num abraço incansável.
Entre todas as voltas pela cama pequena, a todo momento nos reencontramos e nos juntamos.
outro encaixe no quebra cabeça, mais um beijo nas costas, as mãos segurando o peito farto e as bochechas parando pra descansar na nuca quente. 
Ainda não tive a sorte de acordar e pegá-lo me observando, mas ele diz que sempre faz.
Em tempos de descontrole, problemas e pesos desnecessários, nos bastamos.
Brigamos uns dias, mas nos resolvemos em algumas horas.
Sabemos esperar, sabemos obedecer, sabemos amar.
Eu não esperava achar você, você não esperava que eu ficasse. 
E hoje, nossa saudade de todo dia, canta por aí essa vontade de permanecer amando.
os sorrisos, as lágrimas, os dias juntos, o sentimento... toda nossa essência de alma gêmea, toda nossa força no amor!

com amor, Sua Lelê  

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Veneno

Acho é graça desses tais superiores...
desses que passam pena no que falam e fazem questão de bater a palma da mão na minha cabeça acreditando que preciso desses farelos.
Pobres...
não sabem que o que eu mais preciso é paz e eles longe de mim.
"Quem anda com porco, farelo come."
Já dizia o ditado, lembra ?

Comem no chão, falam dum amor que eu sinceramente, prefiro NUNCA conhecer ou lembrar.
vangloriam sujeira, usam as patas sujas pra falar de uma vida que eles nem conhecem (ou nem conhecem mais)
São mesquinhos, pequenos.
Apostam de olhos fechados, com toda segurança que um quarto escuro tem, que são felizes todos os dias.
fazem questão de apresentar ao mundo vidas perfeitas e sorrisos largos quando por trás disso, só o que tem são cacos e mascaras no rosto dos que 'amam'.
Usam perfume de chorume... sente-se ao longe. Bate na narina e queima mesmo que a gente nem perceba.
Ousam rezar por mim, ousam falar da minha felicidade e pior, ousam falar do meu sofrimento e minha dor. OUSAM ENFIAR O DEDO NAS MINHAS FERIDAS!
ousam zombar de mim que só quero distância.
Não me passam paz alguma, e essas amizades eu prefiro enterrar.
Mentem e ferem com navalha na língua.
Venenosos... carregam no peito não um coração, mas um pote transbordante de estricnina.
Cospem pro alto deixando cair na própria testa.
Ousem mais uma vez, mas agora, ficar longe de mim.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Do inesperado, vieram meus melhores presentes!

Em tempos de segundo mês do ano, chego a conclusão que não cheguei a concluir nada aqui sobre meus fatos de um ano atrás...
São só rascunhos.

Tenho no arquivo do blog um rascunho que ainda não terminei chamado 'Carta para um coração fora do corpo' que fala do meu filho de praticamente um aninho de vida que espero terminar algum dia.
Conto desde antes até depois do nascimento, lembrando e praticamente revivendo o que senti naquele tempo.
Lembro que tentei explicar o que houve da maneira mais clara pra que ele entenda quando maior.
só não sei se um dia vou conseguir postar. são pesos enormes e dores que não quero que ele conheça.
Estive pensando sobre isso esses dias próximos, relendo coisas da época mas não por dor nem lamento, foi só como uma tentativa de identificar minhas mudanças nesse meio tempo.
Fiz tanto caminho torto, disse tanta palavra errada, mas também escolhi me dedicar a alguém que eu nem conhecia ainda, mas já amava.
Tonico não era calmo na barriga e hoje continua no mesmo ritmo. Sei que a culpa disso é minha por não conseguir ficar um dia sem comer pelo menos uma barrinha de chocolate durante a gestação, mas nem com remédio pra dormir ele acalma.
Ele me tira do sério, me estressa, apronta todas e me desespera, mas daí é só eu ficar longe um dia que meu peito fica molenga de saudade daqueles olhos de jabuticaba e dos dois cachinhos loiros, um de cada lado.
Tá esperto que só, ta crescendo muito rápido!
Me chama de Alessandra, canta Dona Chica, faz sinal de um aninho e JÁ ANDA!
aaai, como eu pedi pra ele já andar antes do aniversário... 

E ainda agora, vendo ele crescer, planejando mudanças hoje pro nosso futuro ser mais bonito, agradeço por cada segundo que passei nesses quase dois anos.
Sei que foi um preparo, um aprendizado, uma prova!

cada canto de problema que chega hoje eu sei que devo passar e levar de cabeça erguida sem deixar pra trás os meus.
Sem o Anthony, o Otávio não teria chegado. Sem o Otávio, eu não seria a mãe do Anthony. 
Ou pelo menos não seria essa tentativa de mãe pro Anthony.
Descobri que o melhor da vida eu posso fazer a três.
que os melhores sorrisos são os de nós três juntos aprontando, fazendo besteira, ensinando, passeando, sentados num gramado...
A MELHOR FASE DA VIDA, AINDA QUE CHEIA DE OBSTÁCULOS.
A MELHOR EXPERIENCIA E O AMOR MAIS BONITO, EU TENHO POR ELES DOIS.
meus amados! meus meninos! Todo o meu cuidado de existir pra eles, por eles, pra sempre eles.
Eu Amo vocês 





segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A luz azul do breu

Trancados, sozinhos, longe do mundo e do tempo.
Só era importante o aperto dos braços, o calor das mãos, o carinho dos beijos, o roçar das pernas.

Gargalhavam enquanto o ar frio mudava o quarto.
deitavam juntos na intenção de não sair nunca mais.

A coberta dividida pra dois, fazia chamego nos ombros e aconchegava o peito.
o chão de madeira gelava os pés, causava conforto. 

E lá estava ele...
branco, liso, bagunçado nos castanhos do cabelo e dos olhos.
desconcertado por vê-la deitada apenas com uma camiseta, meio sonolenta, perto o bastante pra agarrar as pernas descobertas.

E lá estava ela...
em transe, com os fios avermelhados caídos no rosto, espalhados pelo travesseiro cheiroso dele, observando os detalhes, imaginando o futuro, querendo mais do âmago dele.

Dois brilhantes, almas únicas e pertencentes dum amor sem tamanho.
Eles pediram por muito tempo, um pelo outro. Pediram tanto sem sucesso que desistiram.
Por alguns dias deixaram de acreditar que chegaria alguém.

E ontem, conversaram sobre o inacreditável de estarem juntos.
foi inevitável lembrar, chegaram!

A única luz que tinha no meio do breu, era uma azul que mais parecia sair de dentro deles.
dois azuis, dois iguais, um amor.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Bilhete de amor


"Eu esperei o seu sono, esperei o seu descanso, pra que você pudesse acordar renovada.
Renovada de toda a tristeza, renovada de toda a fragilidade.
E que lembrasse de mim, aqui no canto, tentando cuidar desse seu encanto, da sua felicidade e toda alegria. Te fiz presentes e agradeci os dias, implorei pra que lembrasse de todas as nossas fantasias. Implorei por um pouco de atenção, pra que você se desfizesse dessa realidade, e lembrasse o tamanho da nossa paixão.
Te esperei a cada minuto, a cada segundo, e não era nem perto o tamanho da minha saudade...
Minha louca vontade de te ver aqui do lado, pra que eu pudesse te dizer que vai ficar tudo bem, não se importe com quem não te quer bem, se importe com quem te faz feliz, quem traz pra você novos ares, presentes pra que os guarde.
E te dá alegrias pra que você possa pular, felicitar por estar aqui ainda, e pra sempre pro seus olhares.
Não pedi que se desvencilhasse de toda a vida, pedi que escutasse o quanto eu a amaria, o quanto eu deixei pra te ter, e te disse o quanto de tempo passou pra gente se ver.
Lembra disso, por nós, a todo dia, que toda essa loucura tem um fim, e que só sobra a extasia. A nossa morada, de longe certa, e esquece o pessimismo que você tanto inspira. Lembra que eu sempre me fiz presente todo dia, pra você falar e me contar, o que passa no seu dia a dia, te tirar esse peso todo, te guiar pro sonho que a gente constrói. E eu vejo sim, o tanto que a gente vai ter de alegria. Lembra disso, não esquece de mim, não esquece da gente, não esquece da sua felicidade, do seu amor. Deixa isso de lado, isso passa, a gente acerta os pontos sempre com cuidado. EU TE AMO, lembra disso!"


-Do meu amado Távs



segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Tava aqui pensando...


É engraçado quando você ouve alguém dizer que acordou varias vezes durante a noite e simplesmente te observou.
O jeito mole das mãos, o queixo, a boca meio aberta e caída, os ombros soltos, o cabelo no rosto, os olhos passando rápido por conta do sonho...
engraçado quando você pára e imagina isso acontecer.
Enquanto em outros dias, você apenas vivia. Era só mais alguém no universo.
Engraçado ser grande assim pra alguém, de verdade, ser razão de existência... ser presença mesmo longe.
Você acaba acreditando que existe um sentido em cada folha que cai, existe um sentido em cada pessoa que te cruza na rua e principalmente em cada instante que te atrasa ou te apressa os passos.
A gente acaba sorrindo com pouco, sonhando com castelos e criando todo um futuro.
A gente volta a confiar na esperança, volta a se agarrar nas oportunidades e acima de tudo, renova o coração... por que amar de verdade é muito bom!
Me observa mais que eu continuo aqui, sorrindo bobo nos sonhos pra você ver e se manter feliz, POR QUE O MOTIVO DELE É VOCÊ! 




Até nossa memória falhar


Três meses de convivência com você, três meses de muito cuidado com a pele, os olhos, as mãos, o coração, o acordar, o respirar...
Meses que mais parecem anos por que foram repletos dum sentimento tão puro e simples  e completo, sincero e grande que eu nem sei do que mais a gente pode falar depois de se abraçar no olhar, de longe. Nem sei...
Sabe dos meus erros, acertos, irritações, problemas, picuinhas, chatices, ranços, tormentos, medos, tédios, conhece meu pavor e meu nojo.
Entende cada um deles, se molda pra cada um deles e me compreende como homem feito que é e toma posse de tudo.
Não se deixa levar por picuinha, não se distrai fácil, nem se curva pra luz forte que machuca a vista de vez em quando.
E admiro cada canto, detalhe, partizinha... acho bonito ver o quanto faz por nós. Acho bonito nosso nós, cheio, COMPLETO!
e me cresce a intenção de te ter mais por perto, durante todas as horas do meu dia, minha noite e madrugada. Te ter no caminho, nas entradas, saídas, esquinas, escadas por onde eu for.
Minha paz de espirito se alimenta do teu nome, toda essa sua presença que engrandece qualquer lugar!
Minhas dores são NADA depois que me abraça e conforta, me diz no pé do ouvido que não vai embora. NUNCA, POR NADA!
e eu fico maior, boba que só, amando todo esse seu tamanho de homem, amor, presente!
Me faz graça, me faz sentido, riso, choro, lagrima de felicidade. Me faz vida, viver, sobreviver.
Mulher, de fases, mãe, bagunceira, menininha doce e mulherão que usa salto sem nem colocar um.
Me faz bonita, linda aos olhos do mundo! coisa que eu nunca, nem sequer senti.
Hoje, mais uma vez cuidou e acarinhou seu amor por mim, respeito e compaixão em pessoa.
Me colocou teu perfume nos braços e no pescoço e vim trabalhar numa sensação infinita de estar no teu abraço. Como se vc não tivesse me deixado pra voltar pra realidade. E parece que ainda ta aqui, com os braços em volta de mim. E NÃO FAZ IDEIA DO QUANTO ISSO É BOM! tua presença depois da partida é uma confirmação de que vc realmente existe pra mim, em mim por toda uma vida. ou mais.